Design Systems: estudo de retorno do investimento (ROI)

O Design System interno tornou-se um facilitador essencial para as equipes de produto. Ele traz um grande número de benefícios para melhorar a colaboração – saiba quais são.

Tradução livre de trecho do Artigo de Matěj Káninský para o site UX Collective. Você pode conferir o texto na íntegra aqui.

Introdução 

Os Design Systems internos tornaram-se um facilitador essencial para as equipes de produto. Eles trazem um grande número de benefícios da eficiência à consistência para melhorar a colaboração. Consequentemente, eles geram melhores resultados de negócios, pois permitem que as equipes gastem mais tempo resolvendo problemas reais do usuário e encontrem soluções mais rápidas no mercado.

Nos últimos cinco anos, ajudei a iniciar e também contribuí para vários Design Systems. Eu experimentei os benefícios de equipes alinhadas, componentes reutilizáveis ​​e prototipagem rápida de alta fidelidade, que entre outras melhorias, nos permitiu lançar experimentos rapidamente, medir seu impacto e entregar valor mais rapidamente.

No entanto, construir e manter Design Systems é uma grande tarefa. E começar pode ser ainda mais desafiador se você ainda não tiver a adesão de colegas de design, desenvolvimento e negócios. Se for esse o seu caso, você provavelmente já ouviu pelo menos alguns destes:

  • “Precisamos desenvolver e enviar. Isso não é uma prioridade.”

  • “Isso vai nos atrasar.”

  • “Vai ser muito caro. Não podemos pagar por isso agora, talvez no futuro.”

  • “Você ainda não tem componentes?”

O que são Design Systems? 

Como alguém interessado em trabalhar com Design Systems, você provavelmente não precisa se convencer sobre seus benefícios, no entanto, conseguir com que outras pessoas embarquem nessa requer argumentos certos. Eu li muitos livros e artigos para que você não tenha que fazer o mesmo. Neste artigo eu vou focar principalmente em como vender a ideia de Design System para seus colegas de trabalho.

Estimar o retorno do investimento (ROI)

O ROI é uma medida padrão que as empresas levam em consideração ao decidir se desejam prosseguir com um projeto. Embora esteja simplificando o panorama geral  e para líderes sábios, esta não deve ser a única medida para se decidir a respeito, ajuda a tornar comparável vários Business Cases.

ROI = Benefício líquido / Custo total

Você quer mostrar que seu projeto tem um ROI positivo. Mas tenha cuidado. Um ROI estático mostra apenas um retrato instantâneo no tempo. As empresas estão mudando para visões gerais, mais dinâmicas – de preferência, você mostraria como o ROI se desenvolve ao longo de vários anos.

Então você saberá quando atingir o equilíbrio, o break-even point quando custos e despesas operacionais se igualam à receita da empresa. Se você não tem certeza sobre como calcular o ROI, encontre novamente seu colega de finanças e pergunte.

De qualquer forma, chegar ao valor do ROI pode ser um desafio, especialmente porque muitos dos benefícios esperados neste estágio serão chutes fundamentados ou puras suposições. Felizmente, outras pessoas já estiveram em seu lugar antes e compartilharam seus insights.

Aqui está minha coleção de Estatísticas de suporte ao Design System, que você pode usar como referência ao calcular seu ROI planejado.

1 – Economia de tempo de Design: 34% mais rápido em uma tarefa de Design

Para ver o impacto que Design Systems teriam, um cientista de dados do Figma, pediu a sete colegas de design para criar uma tela e um fluxo de tela para um aplicativo bancário. Os designers foram designados aleatoriamente a dois grupos e tinham um Design System disponível para uma tarefa e arquivos de referência de design antigos para a outra.

Com o Design System disponível, eles concluíram suas tarefas 34% mais rápido do que sem ele. Como um benefício extra, vários participantes relataram se sentir muito mais confiantes no resultado final sabendo que estava de acordo com os padrões atualizados do Design Systems.

2 – Economia de tempo de Design: 31% mais rápido com uma melhoria relativa de 18% na qualidade

Em seu artigo rigoroso, Bryn Ray descreve como eles calcularam os benefícios potenciais de investir em Design Systems para um de seus clientes. Ao registrar e categorizar as atividades de design de uma amostra de seis equipes de design, eles criaram uma estrutura para avaliar quais benefícios um Design System maduro poderia trazer. Eles descobriram que cada equipe poderia entregar seu trabalho com a redução de 31% do número de horas e 18% a mais de melhoria relativa de qualidade.

3 – O Design System de Lloyds Bank economiza 190.000 libras por projeto (aproximadamente 1,5 milões de reais)

Em sua palestra, a Head de Design System do Lloyds Banking Group, Lily Dart, menciona três motivadores principais para desenvolver o Design System da empresa: “consistência, qualidade e custo. Quando se trata de custo, Constellation Design System economizou 3,5 milhões de libras (aproximadamente 25 milhões de reais) entre junho e dezembro de 2018 em todos os projetos que o utilizaram. Mais recentemente, Lily relatou uma economia estimada em 12,7 milhões de libras (aproximadamente 93 milhões de reais) para o grupo em dois anos.”

4 – Construir uma página da web 10 a 20 vezes mais rápido

Tobias Ritterbach, o proprietário de Experiência da Sipgate, relatou no livro Design Systems: “Ter uma biblioteca de padrões para sipgate.de nos permite construir páginas de 10 a 20 vezes mais rápido do que para outros sites de produtos que não estão conectados à biblioteca.”

5 – A quantidade e a frequência da mudança de CSS foram significativamente reduzidas

Depois de passar um ano e meio trabalhando no Design System Badoo Cosmo e recebendo muitos feedbacks positivos, Cristiano Rastelli, um UI Design do Badoo, quis quantificar o impacto direto que o Design System teve na empresa.

Olhando para a quantidade de mudanças nos arquivos CSS do produto e comparando-os com o número de commits no repositório Cosmo, ele descobriu que tanto a quantidade quanto a frequência das mudanças foram significativamente reduzidas após a introdução e expansão do Design System, permitindo que designers e desenvolvedores tivessem mais tempo para aumentar a qualidade da aplicação.

6 – 30% de economia de dinheiro, aumento de 10% a 30% nas conversões, aumento de 10% a 30% de lealdade

Para vender o projeto de Design System para o CIO, CTO e CEO de uma empresa global, Anja Klüver da Prospect, trabalhou com o centro de excelência de UX da empresa, coletou dados históricos reais do produto e mostrou o valor que o Design Thinking e o Design System poderia trazer: 30% de economia em dinheiro, aumento de 10% a 30% nas conversões e aumento de 10% a 30% na lealdade. Eles também projetaram uma economia de 2.620.277 de libras no redesenho de 10 aplicações web e 15 móveis (cerca de 1.600 que o cliente tinha na época).

Mais especificamente, afastando-se da metodologia waterfall [desenvolvimento de forma linear, com várias etapas pré-definidas] e investindo mais em UX para criar produtos úteis com maior probabilidade de sucesso no mercado em primeiro lugar, eles mostraram que os projetos poderiam ser entregues 30% mais baratos e 30% mais rápidos.

 

Design-Agente-de-Mudança-Badaro_Design Systems

Fonte: Design como Agente de Mudança: O Caso de Negócios para Sistemas de Design por Anja Klüver

7 – Anja relatou ainda os seguintes números:

  • Até 50% de economia de tempo em padrões e viagens comuns;
  • Redução de até 50% nos custos futuros (lançando produtos melhores pela primeira vez, usando o Design Thinking e o Design System);
  • Aumento de até 25% da eficiência e eficácia do desenvolvimento do produto;
  • 2X –3x mais rápido para o mercado;
  • Até 25% mais rápido na construção de protótipos funcionais;

8 – Redução de Custo até 100x para corrigir um erro de software antecipadamente

De acordo com Pressman, até 45% do tempo de inatividade do software é causado por código defeituoso. Esse código defeituoso precisa ser reparado, levando a uma perda de produtividade. O tempo de inatividade do software ainda leva à perda de oportunidades de negócios e vendas, dados perdidos ou corrompidos, alto suporte de TI e baixa satisfação do cliente.

Quanto custa em média corrigir os erros? “Como esperado, os custos relativos para encontrar e reparar um erro ou defeito aumentam drasticamente à medida que vamos da prevenção à detecção, passando pelos custos de falhas internas e externas.”

Na Figura abaixo, que foi adaptada por Pressmen, a diferença entre consertar um defeito (por exemplo, um problema de usabilidade) durante a fase de design versus a fase de pós-lançamento é aproximadamente 31 vezes menor.

Boehm e Basili, das Universidades do Sul da Califórnia e de Maryland afirmam que “encontrar e consertar um problema de software após a entrega costuma ser 100 vezes mais caro do que localizá-lo e consertá-lo durante a fase de requisitos e design”.

O IBM Design também usou este número como regra prática: “Cada dólar investido na facilidade de uso retorna de 10 a 100 US dólares.

 

Correcao-erros-Design Systems-Badaro-Design

Fonte: Custo relativo à correção de erros e defeitos; Fonte: Roger S. Pressman e Bruce R. Maxim. 2015. Desenvolvimento de Software: a Abordagem de um Praticante.

Conclusão 

Design Systems são investimentos de longo prazo. É por isso que é fundamental ter os argumentos certos quando você está na missão de convencer sua empresa. Você precisará do apoio deles não por um mês, mas de preferência continuamente. Isso é pedir muito. Deve ficar gradualmente mais fácil, pois você verá o valor do seu sistema de projeto aumentar com o tempo. Esperançosamente, este artigo o ajudará pelo menos um pouco a montar uma história de negócios convincente e empolgante que levará a um incontestável “sim”.